Encadeamentos produtivos e multiplicadores macrossetoriais no Brasil após a abertura comercial

José Firmino Sousa Filho, Gervásio Ferreira dos Santos, Luiz Carlos de Santana Ribeiro

Resumo


Este artigo analisa o processo de desenvolvimento produtivo setorial agregado da economia Brasileira de 1990 a 2015 aplicando os índices de encadeamento produtivo e os multiplicadores setoriais para a produção e emprego, utilizando uma abordagem de Insumo-Produto e mesoeconomia. A geração de linkage effects para uma economia é importante, pois desencadeia uma série de resultados positivos desde que sua estrutura esteja interligada e seja capaz de causar spillovers. Assim, a pesquisa pretende contribuir para as discussões acerca das temáticas relativas ao crescimento macrossetorial da economia brasileira explorando o processo de crescimento produtivo como uma ferramenta essencial das relações de produção, demanda e crescimento tecnológico. Os resultados apontam que a estrutura produtiva da economia brasileira não evoluiu na direção de criação e desenvolvimento de encadeamentos produtivos consolidados e os multiplicadores de produção e de emprego diminuíram em grande parte dos setores considerados.


Palavras-chave


Economia Brasileira. Insumo-Produto. Produção. Mesoeconomia.

Texto completo:

arquivo


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/re.v42i79.72694

-----------------------------------------------------------

Revista de Economia
ISSN 0556-5782 | e-ISSN 2316-9397

Indexadores (Bases, diretórios e portais)
ARDI | BASECite Factor | Diadorim | Dimensions | ERIH PLUS | EZB | Genamics | Google Scholar | ISSNJournal 4-free | Latindex | LivRe | OAJI | Open Air | Periódicos CAPES | REDIBROAD | Sherpa Romeo | Socol@r | Sumários | World Wide Science