QUANTO VALE A ÁGUA QUE USAMOS? PROJEÇÕES DOS IMPACTOS ECONÔMICOS DE RESTRIÇÕES AO USO E ELEVAÇÃO DE PREÇOS DA ÁGUA NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

Aline Souza Magalhães, Terciane Carvalho, Kênia de Souza, Edson Paulo Domingues

Resumo


O problema da escassez de água no Brasil tem se intensificado nos últimos anos. Não diferente está a situação da região metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) que presenciou a mais severa escassez hídrica de sua história em 2015. Este estudo estima o impacto econômico de restrições na oferta de água utilizando um modelo de equilíbrio geral computável inter-regional para os municípios da RMBH.Busca-se compreender a importância da água como insumo produtivo e no consumo das famílias, e como a limitação de seu uso afeta as decisões econômicas dos setores e das famílias. Os resultados indicam que para um corte de 1% no consumo total de água na RMBH seria necessária uma elevação média de tarifas de 7,3%. O efeito total sobre o uso de água mostra-se bastante inelástico, uma vez que a redução de consumo é 1/7 da elevação dos preços.

Palavras-chave


Economia; Economia dos Recursos Naturais, Métodos e Modelos Matemáticos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/re.v42i2.47614

-----------------------------------------------------------

Revista de Economia
ISSN 0556-5782 | e-ISSN 2316-9397

Indexadores (Bases, diretórios e portais)
ARDI | BASECite Factor | Diadorim | Dimensions | ERIH PLUS | EZB | Genamics | Google Scholar | ISSNJournal 4-free | Latindex | LivRe | OAJI | Open Air | Periódicos CAPES | REDIBROAD | Sherpa Romeo | Socol@r | Sumários | World Wide Science