Lorsque Simondon rencontre le “Fragment sur les machines”: La rêverie de l’intellect général

Taila Picchi

Resumo


Neste estudo, proponho analisar o pensamento simondoniano da técnica pelo conceito de intelecto geral
que aparece nos Grundrisse de Marx. Como essa reaproximação foi conduzida por Virno ao introduzir o pensamento
de Simondon na Itália (2001), antes de tudo será necessário questionar a relação que orienta a leitura de Virno, ou
seja, aquela estabelecida entre técnica e trabalho por Simondon e Marx ao mesmo tempo. Analisando o “Fragmento
sobre as máquinas”, mostrarei a superação da perspectiva econômica em Marx que permite a comparação com a
tecnicidade de Simondon, que por sua vez exclui desde o início uma definição da técnica pelo fator econômico. A
distinção entre trabalho vivo e trabalho morto será então usada para situar a representação da maquinaria tecnológica
na inversão mágica que ocorre entre o capital fixo e o capital variável e, dentro do dispositivo do trabalho vivo, será
preciso, portanto, tentar ler o conceito de informação em Simondon. Ao final, através da maquinaria tecnológica,
que introduz pela automação mudanças no ciclo de produção e valorização, trata-se de questionar se uma política
do devaneio do intelecto geral é autorizada pelo pensamento da técnica de Simondon.


Palavras-chave


Simondon; Marx; automação; técnica; capitalismo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/dp.v16i2.70263

Indexado por: CLASE. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades