O fim da espera sem fim: o teatro de Beckett

Marcela Oliveira

Resumo


Este artigo investiga como, na trilogia teatral do pós-guerra Esperando Godot, Fim de partida e Dias felizes, Samuel Beckett apresenta uma espera sem fim, em dois sentidos. Primeiro, quanto ao conteúdo: é uma espera que não possui finalidade exterior às obras, como um significado total que possa ser depreendido e servir à nossa instrução moral ou cognitiva. Segundo, quanto à forma: a espera não termina, é sem fim, como um objetivo último a ser almejado pelos personagens no interior das próprias obras que lhes conferisse completude, encerramento.

Palavras-chave


Beckett, teatro, espera, finalidade, fim, jogo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/dp.v15i2.62708

Indexado por: CLASE. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades