Open Journal Systems

MODELAGEM DA ESTRUTURA DIAMÉTRICA EM ECÓTONO DE FLORESTA OMBRÓFILA MISTA E ESTACIONAL DECIDUAL SUBMETIDA A MANEJO FLORESTAL SUSTENTADO

Jonathan William Trautenmüller, Sylvio Péllico Netto, Rafaelo Balbinot, Ana Paula Dalla Corte, Rafael Vendruscolo

Resumo


Este trabalho tem como objetivo avaliar o efeito do manejo florestal em regime sustentado sobre a estrutura diamétrica da comunidade florestal e sobre as quatro espécies com maior frequência, em um fragmento florestal caracterizado como ecótono das florestas Ombrófila Mista e Estacional Decidual. O estudo foi realizado em uma área de 50 ha, localizada no noroeste do estado do Rio Grande do Sul - BR, centrada nas seguintes coordenadas 27° 36' 49,60" Sul e 53° 29' 23,05" Oeste. Dois inventários foram realizados, (i) em 1993, no qual foram alocadas 25 parcelas (20 m x 50 m) aleatoriamente, e (ii) em 2013, no qual foram instaladas 31 parcelas (20 m x 50 m) sistematicamente. Todos as árvores acima de 10 cm de diâmetro à altura do peito foram mensuradas e identificadas a nível de espécie. Os resultados demonstraram que apenas a função Exponencial 2P apresentou aderência nos dois anos de mensuração para a comunidade florestal. Para as espécies Cedrela fissilis Vell. e Campomanesia xanthocarpa O. Berg a distribuição SB Johnson apresentou a melhor aderência, já para a Araucaria angustifolia (Bertol.) Kuntze foi a distribuição Beta e para a Sebastiania commersoniana (Baill.) L.B. Sm. e Downs a distribuição LogNormal 3P, considerando os dois inventários. O manejo florestal em regime sustentado apresentou benefícios para algumas espécies como a Campomanesia xanthocarpa e Sebastiania commersoniana, que retomaram suas regenerações em fluxo contínuo, já as espécies Araucaria angustifolia e Cedrela fissilis não apresentaram tal retomada.


Palavras-chave


Araucária; Cedro; Distribuições probabilísticas; Plano de manejo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/biofix.v4i1.62627

Apontamentos

  • Não há apontamentos.