ASPECTOS DA QUALIDADE DO TRABALHO RELACIONADOS À EXPLORAÇÃO FLORESTAL NA AMAZÔNIA CENTRAL

Kauê Augusto Oliveira Nascimento, Fabiano Emmert, Renato Cesar Gonçalves Robert

Resumo


A baixa qualidade das operações é apontada como a principal causa da insustentabilidade ecológica do manejo florestal. Este trabalho teve como objetivo a quantificação e a análise de variáveis de qualidade no corte florestal: engate de árvores, altura de toco e árvores ocas. A área de estudo localiza-se no município de Itapiranga, Amazonas, onde a coleta de dados consistiu em 39 horas do corte florestal. Em média três árvores por jornada (12%) engataram no momento de corte por falta de perícia. A altura média dos tocos foi de 26 cm, com volume médio de 0,09 m³ por árvore (2,9%) em forma de tocos. Foi encontrada, em média, 19,8% de árvores ocas por jornada, com tempo perdido de deslocamento por jornada de uma hora e 12 minutos, sendo equivalente a 12,9 m³ de produtividade perdida. As adequações do processo de planejamento da operação acarretam no aumento da segurança e do desempenho da exploração florestal. 


Palavras-chave


Árvores ocas; Corte; Engate; Toco

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/biofix.v2i0.56342

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

BIOFIX Scientific Journal. ISSN Eletrônico (e-ISSN): 2525-9725

SJIF 2017 (Scientific Journal Impact Factor): 4.978

Indexado em (Indexed on): 

     

                    

         

  

    

   

      

Biblioteca Virtual de Biotecnología para las AméricasHsH - BibliothekSJIFactor


Todos os conteúdos desta revista estão licenciados sob uma Licença Internacional Creative Commons 4.0 (CC BY 4.0)

All the contents of this journal is licensed under a Creative Commons 4.0 Internacional License (CC BY 4.0)


Flag Counter