Relações sociais de acesso: redes informacionais e interlocuções frente aos documentos policiais na Região do Alto Solimões/Amazonas

Marcelo Araújo Silva, Rodolfo Almeida de Azevedo

Resumo


Introdução: O campo da pesquisa social em organizações policiais revela uma zona de tensão relacionada ao acesso a dados e informações, especialmente porque estes registros produzidos em delegacias guardam informações sensíveis e são mantidos por uma instituição com amplo histórico de restrição de acesso no Brasil. Diante disso, o presente estudo investigou os mecanismos e estratégias de acesso utilizados por um grupo de pesquisa atuante na mesorregião do Alto Solimões no Estado do Amazonas, bem como suas relações e interlocuções no acesso às delegacias de quatro municípios, em busca de dados e informações sobre violência contra mulheres. Metodologia: Utilizou-se o método de análise de conteúdo nos relatórios de campo produzidos pelos membros do grupo de pesquisadores em suas três etapas: pré-análise; exploração do material; tratamento dos resultados: inferência e interpretação. Resultados: Quanto às interlocuções e a rede informacional elencaram-se as seguintes observações: a atuação dos interlocutores influencia no acesso às organizações; a identificação de uma rede eficiente nos municípios; o pleno acesso às organizações, com apenas um caso de restrição justificada; a contribuição de agentes internos que dinamizam a coleta de dados e colaboram na recuperação da informação. Conclusões: As observações durante a análise permitiram, a partir da formulação de “acesso jurídico” e “acesso intelectual” de Jardim (1999b), a reflexão sobre dois novos conceitos idealizados inicialmente como “Pré-acesso” e “Relações Sociais de Acesso” com os aportes relacionados à antropologia da informação observando as condições sociais na constituição do acesso, assim como a definição das etapas do acesso aos registros/documentos mantidos por estas organizações.


Palavras-chave


Acesso às instituições; Acesso à informações; Relações sociais de acesso; Registros Policiais

Texto completo:

HTML EPUB PDF

Referências


Alcadipani, R. (2013). Confissões etnográficas: Fracassos no acesso às organizações no brasil. In Iv encontro de ensino e pesquisa em administração e contabilidade. Brasília, DF: Anpad.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo, SP: Ediçoes 70.

Bate, S. P. (1997). Whatever happened to organizational anthropology? a review of the field of organizational ethnography and anthropological studies. Human Relations, 50(9), 1147–1175. Recuperado de http://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/001872679705000905 doi:10.1177/001872679705000905

Bobbio, N., Matteucci, N., & Pasquino, G. (1992). Dicionário de política. Brasília, DF: UNB.

Bruni, A. (2006). Access as trajectory: Entering the field in organizational ethnography. M@n@gement, 9(3), 137–152. Recuperado de http://www.management-aims.com/fichiers/publications/93Bruni.pdf

da Silva, A. M., Ribeiro, F., Ramos, J., & Real, M. L. (1999). Arquivística: Teoria e prática de uma ciência da informação. Porto, Portugal: Edições Afrontamento.

de Azevedo, M. A. (2006). Informação e segurança pública: a construção do conhecimento social em um ambiente comunitário (Tese de Doutorado, Universidade Federal de Minas Gerais, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Belo Horizonte). Recuperado de http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/VALA-6T7Q94

Jardim, J. M. (1999a). Transparência e opacidade do estado no brasil: usos e desusos da informação governamental. Niterói, RJ: EDUFF.

Jardim, J. M. (1999b). O acesso à informação arquivística no brasil: problemas de acessibilidade e disseminação. Rio de Janeiro, RJ: Conarq.

Marteleto, R. M. (2001). Análise de redes sociais: aplicação nos estudos de transferência da informação. Ciência da Informação, 30(1). doi: 10.18225/ci.inf..v30i1.940

Marteleto, R. M. (2002). Conhecimento e sociedade: pressupostos da antropologia da informação. In M. A. Aquino (Ed.), O campo da ciência da informação: gênese, conexões e especificidade (p. 101–115). João Pessoa, PB: UFPB.

Marteleto, R. M. (2007). Informação, rede e redes sociais: Fundamentos e transversalidades. Informação & Informação, 12(especial). doi: 10.5433/1981-8920.2007v12n1espp46

Marteleto, R. M. (2017). A cultura, o conhecimento e a informação na obra de pierre bourdieu. In R. M. Marteleto & R. M. Pimenta (Eds.), Pierre bourdieu e a produção social da cultura, do conhecimento e da informação. Rio de Janeiro, RJ: Garamond.

Marteleto, R. M., Ribeiro, L. B., & Guimarães, C. (2002). Informação em movimento: produção e organização do conhecimento nos espaços sociais. Civitas: Revista de Ciências Sociais, 2(1), 69–80. doi: 10.15448/1984-7289.2002.1.88

Mendel, T. (2009). Liberdade de informação: um estudo de direito comparado (2a. ed.). Brasília, DF: UNESCO.

Silva, V. (2014). Fazendo etnografia em campo minado: Reflexões sobre os desafios da pesquisa antropológica em situações de risco. Natal, RN: UFCG.

Vignol, A. L. (2009). Acesso limitado: as lacunas da informação institucional do museu de comunicação social Hipólito José da Costa (Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Curso de Arquivologia, Porto Alegre, RS.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/atoz.v6i1.53604

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Serviços de indexação e agregadores

Web of Science
Directory of Open Access Journals
Sumários.org: sumários de revistas brasileiras
Google Acadêmico
LivRe! Portal para periódicos de livre acesso na Internet
InfoBCI
Latindex Catálogo
Bielefeld Academic Search Engine
INFOBILA: Información Bibliotecológica Latinoamericana
REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Brapci (Base de Dados Referencial de Artigos de Periódicos em Ciência da Informação Brapci (Base de Dados Referencial de Artigos de Periódicos em Ciência da Informação

Universidade Federal do Paraná
Mestrado e Doutorado Interdisciplinar em Gestão da Informação
ISSN: 2237-826X
Qualis (2013-2016):
B2 - Comunicação e Informação
B4 - Planejamento Urbano e Regional/Demografia; Saúde Coletiva; Interdisciplinar
B5 - Arquitetura, Urbanismo e Design; Engenharias III
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
Esta obra foi licenciada sob uma Licença
Creative Commons Atribuição 4.0 Não Adaptada