PREVALÊNCIA DE UNIVERSITÁRIOS QUE FAZEM USO DE MEDICAMENTOS PARA TRATAMENTO DE DISFUNÇÃO ERÉTIL

Mayara HORNUNG, Geruza Clazer HALILA, Vanessa BARBOSA

Resumo


O objetivo deste trabalho foi verificar a prevalência de universitários que fazem uso de medicamentos para tratamento de disfunção erétil em uma instituição privada de ensino superior, na cidade de Ponta Grossa – PR, em 2010. Participaram da pesquisa 429 acadêmicos do sexo masculino, com idade entre 18 e 30 anos, os quais responderam um questionário sobre o conhecimento dos medicamentos para disfunção erétil, diagnóstico da patologia, frequência e motivo do uso, o medicamento utilizado, onde foi adquirido, se teve prescrição médica e o relato de reações adversas. Os resultados mostraram que 8,6% dos acadêmicos fizeram uso de medicamentos para disfunção erétil, sendo que destes, 5% relataram usar pelo menos uma vez por mês. Dentre os acadêmicos que relataram uso, 31% disseram usar Viagra® (sildenafila), 20% Pramil® (sildenafila) e 20% Cialis® (tadalafila), sendo que apenas dois acadêmicos adquiriram a partir de receituário médico, mesmo não apresentando nenhum problema de disfunção erétil. Quanto ao local onde foram adquiridos os medicamentos, 40% disseram ter conseguido na farmácia, 19% com amigos e 14% no Paraguai. Dos acadêmicos que já fizeram uso, 62% não relataram nenhuma reação adversa e dos 38% que relataram reações, 37% disseram ter dor de cabeça e 22% rubor facial, sendo citados também ereção prolongada do pênis e suor excessivo, reações menos comuns. Os principais motivos que levaram ao uso destes medicamentos foram curiosidade (87%) e melhor desempenho (8%).


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/acd.v13i2.30061