AUTOCITAÇÃO FICTIVA COMO ESCANEAMENTO MENTAL: MOVER-SE CONCEPTUALMENTE SEM SE DESLOCAR

Luiz Fernando Matos Rocha

Resumo


O fenômeno da Autocitação Fictiva é um tipo discursivo de Fictividade por meio do qual seus conceptualizadores impõem uma perspectiva subjetificante e avaliativa ao discurso direto (primeira pessoa do singular), tornando o verbo “dizer” ou “falar” exclusivamente epistêmico. Por meio de um cenário não-verídico de reportação discursiva, o locutor remete a um cenário prévio e suposto de fala com propósito efetivo de permitir acesso mental ao cenário verídico de pensamento. Com base em dados orais de Português Europeu (PE) e Brasileiro (PB), postula-se que a Autocitação Fictiva se dá por um processo de Escaneamento Mental em que o sujeito cognitivo contempla, escaneando-a, uma situação prévia, e assim evoca o frame de avaliação, e não o de reportação discursiva. Configurando-se ainda como um produto do Movimento Fictivo Experenciado, a Autocitação Fictiva é mapeada por meio de pistas como digressão monológica e co-texto epistêmico.

Palavras-chave


autocitação; escaneamento mental; fictividade; frame de avaliação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rabl.v11i2.32528

Direitos autorais



Indexadores

       

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.