A GEOTECNOLOGIA COMO FERRAMENTA PARA O DIAGNÓSTICO DA ARBORIZAÇÃO URBANA: O CASO DE MACAPÁ, AMAPÁ.

Hugo Santos de Castro, Teresa Cristina Albuquerque de Castro Dias, Viviane Vanessa Vilhena Amanajás

Resumo


O objetivo deste trabalho foi realizar um levantamento inédito da arborização das vias públicas de Macapá através do método de amostragem, diagnosticando diversas variáveis silvimétricas que possam auxiliar o poder público a traçar um planejamento urbano, no trato da arboricultura. Foram utilizados o software BioEstat 4.0 para sortear 10% das quadras da cidade, bem como o software ArcGIS 8.3 para elaboração dos mapas temáticos produzidos após o levantamento. Registrou-se 2.092 indivíduos, distribuídos em 57 espécies, sendo 56% exóticas. No entanto, apenas três espécies: Mangifera indica L. (mangueira), Ficus benjamina I. (fícus) e Syzygium malaccense (jambeiro) concentram mais da metade (57,4%) do total amostrado, o que foge às recomendações da literatura. O índice de árvores por habitante é de apenas 0,07. Outros dados como conflito com fiação eletrotelefônica, tutoramento do indivíduo para evitar problemas com sistema radicular e bifurcação, também merecem melhores cuidados por parte da gestão pública, assim como melhor distribuição nos três setores do município. A priorização de políticas públicas destinadas à arborização municipal e a utilização de ferramentas geotecnológicas em planejamentos futuros podem possibilitar a melhoria das condições urbanísticas e paisagísticas da cidade, compatibilizando, ainda, com a cultura local.


Palavras-chave


Arborização urbana; Geotecnologia; Inventário; Macapá

Texto completo:

ARTIGO AUTORIZAÇÃO


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v38i0.42281

Direitos autorais 2016 Raega - O Espaço Geográfico em Análise

_____________________________________________

ISSN (IMPRESSO) 1516-4136 até 2008

ISSN (ELETRÔNICO) 2177-2738 a partir de 2009