Do grito do incondicionado aos ruídos do tempo: Gilles Deleuze e a questão do princípio do prazer.

Flávio Luiz Castro Freitas

Resumo


Investigação que tem por objetivo explicitar a interpretação filosófica de Gilles Deleuze acerca do texto Além do princípio do prazer de Sigmund Freud de1920. Para tanto, postula-se que nos trabalhos Sacher-Masoch. O frio e o cruel de 1967 e Diferença e repetição de 1968 Deleuze se apropria do aspecto “especulativo” de fundo metapsicológico-econômico presente no texto de Freud. Essa apropriação é de ordem crítica, transcendental e genealógica, tanto num âmbito esquemático, quanto numa perspectiva conceitual. Como resultante dessa apropriação, surgem importantes críticas ao modelo da repetição material e ao modelo objetivo da morte em Freud, bem como a constatação de que, para Deleuze, o tempo é a condição para que o prazer seja em última instância sustentado como princípio.


Palavras-chave


Deleuze; Freud; psicanálise.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/dp.v13i3.46917