EFEITO DA eCG SOBRE AS CARACTERÍSTICAS MORFOFUNCIONAIS DO CORPO LÚTEO DE VACAS MESTIÇAS DURANTE A SINCRONIZAÇÃO DA OVULAÇÃO

Priscila Assis Ferraz, Elisiane Satelles Santos, Luiz Di Paolo Maggitti Junior, Lindomar Sousa Brito, João Vitor Gomes da Silva Carvalho, Marcos Chalhoub Coelho Lima, Antonio de Lisboa Ribeiro Filho

Resumo


Objetivou-se neste estudo avaliar o efeito do tratamento com gonadotrofina coriônica equina (eCG) sobre as características morfofuncionais do corpo lúteo (CL) em vacas mestiças com diferentes concentrações circulantes de progesterona (P4) durante a sincronização da ovulação. Foram utilizadas 30 fêmeas mestiças submetidas a um protocolo de sincronização para IATF e divididas para receberem ou não de PGF2α no D0 no início do protocolo e no momento da retirada do dispositivo intravaginal de P4 foram subdivididas aleatoriamente em quatro grupos para receberem a aplicação ou não de eCG. Uma alta concentração de P4 no momento da sincronização da ovulação influenciou negativamente (P=0,03) o diâmetro, volume e a vascularização do CL subsequente ao protocolo. Vacas tratadas com eCG e com alta concentração circulante de P4 no momento da sincronização da ovulação apresentaram diâmetro do CL (P>0,05), semelhante às vacas com baixa concentração de P4. Conclui-se que elevadas concentrações circulantes de P4 impactaram negativamente nas características morfofuncionais do CL e a administração de eCG pode ser utilizada como uma estratégia para favorecer uma melhor resposta luteal em fêmeas mestiças bovinas com alta concentração de P4 no momento da sincronização da ovulação.


Palavras-chave


gonadotrofina; progesterona; doppler; fêmeas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/avs.v24i4.61613