Open Journal Systems

CHAPÉU D’UVAS: UM ESTUDO SOBRE AS CHUVAS LOCAIS EM RESERVATÓRIOS EM MINAS GERAIS

Matheus Silva Frauches, Thiago Oliveira, Fabio Sanches, Cássia Ferreira

Resumo


Estudos sobre as alterações microclimáticas em virtude da formação de reservatório hidrelétricos foram desenvolvidos desde o início do século XX. No Brasil, estudos foram desenvolvidos sobre os impactos da formação dos reservatórios de hidrelétricas (UHE) na climatologia local. O objetivo do trabalho foi analisar se o reservatório Chapéu d’Uvas, localizado no município de Ewbank da Câmara – Zona da Mata Mineira, alterou a dinâmica da chuva no local. Foram utilizados dados pluviométricos diários obtidos da Agência Nacional de Águas, organizados em dois períodos distintos: pré-enchimento (1971-1994) e pós-enchimento (1995-2018). Os dados foram organizados em dias chuvosos (≥ 1mm) e chuvas mensais. Gráficos box plot, teste t de Student e teste de Mann-Kendall foram aplicados aos conjuntos de dados para se verificar a existência de mudanças significativas. Constatou-se uma redução na quantidade de dias com chuva nos meses de março, abril, maio, junho e agosto após a formação do reservatório. O teste t de Student revelou que as reduções observadas não foram consideradas significativas. O teste de Mann-Kendall também considerou não significativas as tendências de redução observadas. As tendências de reduções nos dias de chuva e nos volumes mensais em setembro e outubro podem indicar possível prolongamento da estação seca. Sendo assim, aponta-se que a formação do reservatório Chapéu d’Uvas não alterou na dinâmica das chuvas locais.


Palavras-chave


Microclima de reservatórios; Testes estatísticos; Zona da Mata Mineira.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/abclima.v27i0.74272