METODOLOGIA PARA CLASSIFICAÇÃO DE ZONEAMENTO AGROCLIMATOLÓGICO

Alixandre Sanquetta Laporti Luppi, Alexandre Rosa Santos, Fernando Coelho Eugênio, Rosembergue Bragança, João Batista Esteves Pelúzio, Raphael Lima Dalfi, Rosane Gomes Silva

Resumo


Devido à dificuldade de avaliação das classes de Zoneamento Agroclimatológico, onde na maioria das vezes são muitas, este estudo propôs organizar essas classes de tal forma que o entendimento tanto para o produtor quanto para o assistente técnico fique mais claro, facilitando o entendimento pelos mesmos. O estudo foi realizado na Microrregião Sudoeste Serrana, pertecente ao Estado do Espírito Santo, com o objetivo de desenvolver uma nova metodologia para classificação de zoneamento agroclimatológico e comprovar a sua eficácia através da comparação das áreas de cultivo de café, sobre o zoneamento agroclimatológico atual do café conilon e arábica. A classificação por porcentagem de aptidão reduziu de nove para cinco classes (0%, 25%, 50%, 75% e 100%), facilitando a visualização e entendimento dos zoneamentos. A microrregião Sudoeste Serrana apresenta 41,38 Km2 de café conilon e 230,21 Km2 de café arábica, sendo que das áreas de plantio de café conilon e arábica, 0% estão sobre as áreas com 0% de porcentagem de aptidão e as demais áreas estão sobre as outras porcentagens de aptidão (25% a 100%), provando então que com 0% de aptidão realmente não é possível o crescimento e desenvolvimento da cultura, e que é possível o desenvolvimento e crescimento da cultura em áreas que apresentam algum tipo de inaptidão.

Palavras-chave


Aptidão agrícola; Sistemas de Informações Geográficas; Café.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/abclima.v15i0.37388

INDEXADORES