MICROCLIMA DE AMBIENTES CAVERNÍCOLAS: ESTUDO DE CASO DA GRUTA DA SANTA, PARQUE ESTADUAL DE INTERVALES, SP

Bárbara Nazaré ROCHA, Emerson GALVANI

Resumo


Este estudo tem como objetivo caracterizar o microclima da gruta da Santa do Parque Estadual de Intervales, SP, em condições naturais e na presença de turistas. Para isso, foram coletados dados de temperatura e umidade relativa do ar a cada seis minutos por meio de registradores automáticos. Os dados foram comparados ao de uma estação meteorológica instalada no meio externo. Também foi medida a concentração de gás carbônico da gruta. A gruta da Santa se caracteriza por uma estabilidade térmica e hídrica em seu interior, praticamente sem influências do meio externo, já que a caverna não apresenta claraboias, nem rio de águas caudalosas. A concentração de gás carbônico aumenta na medida em que se adentra na cavidade, com amplitudes máximas de 126 ppm. Na presença de um pequeno grupo de visitantes (três pessoas), as condições microclimáticas da caverna permaneceram estáveis, o que demonstra ausência de impactos na atmosfera cavernícola decorrentes da visitação turística. Esta pesquisa deve contribuir para melhor compreensão desse ambiente tão peculiar e de microclima ainda pouco estudado.

Palavras-chave


Microclima; Caverna; Temperatura do ar; Umidade relativa do ar; Gás carbônico

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/abclima.v9i0.27508

Direitos autorais