A influência das cores no ganho térmico de superfícies cerâmicas

Rafael Ponce de Leon Amorim, José Rodrigo Viana Monteiro

Resumo


Em regiões de clima quente e úmido, com elevados valores de temperatura e umidade e altos níveis de radiação solar, recomenda-se o emprego de materiais leves, de superfícies com baixa absortância e, principalmente, o sombreamento das superfícies externas, além da permeabilidade das edificações ao vento. Contudo, observa-se nos novos edifícios, o emprego de materiais com alta inércia térmica e alta absortância, acompanhadas pela redução da vegetação e o adensamento inadequado das áreas construídas, características opostas às recomendações bioclimáticas de projeto. O presente artigo teve início com o desenvolvimento de um projeto de pesquisa PIBIC-EM, que teve por objetivo investigar a influência das cores de revestimentos cerâmicos no ganho térmico do edifício através de registros realizados por termômetro infravermelho e câmera termográfica, demonstrando a necessidade da observação criteriosa da especificação de tal característica no processo de concepção de projeto, e sua consequente contribuição no conforto térmico dos usuários e na eficiência energética do edifício.


Palavras-chave


Cores; Temperatura superficial; Termografia

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/relainep.v2i2.38350

https://licensebuttons.net/l/by-nd/3.0/88x31.png

Este periódico está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional

Rev. Lat.-Am. Inov. Eng. Prod. [ReLAInEP], Curitiba (PR), Brasil

ISSN: 2317-4846 (Versão impressa)

ISSN-e: 2317-6792 (Versão online)