Concepções de professores sobre brincadeira e sua relação com o desenvolvimento na educação infantil

Gabriela Dal Forno Martins, Mauro Luís Vieira, Ana Maria Faraco de Oliveira

Resumo


A presente pesquisa teve como objetivo caracterizar as concepções que professores de educação infantil têm a respeito da  importância da brincadeira como parte do processo educativo. Os participantes foram 81 professoras, com idade variando de 18 a 63 anos. Foi utilizada uma escala do tipo Likert, desenvolvida pelos pesquisadores, contendo 42 itens distribuídos em cinco categorias: conceito de brincadeira, relação entre brincadeira e aprendizagem, papel dos professores em situação de brincadeira livre e estruturada, dificuldades encontradas na utilização da brincadeira e valor atribuído à brincadeira para o desenvolvimento global da criança. Os resultados indicaram que: a) os professores concordaram entre si a respeito de aspectos teóricos do conceito e da funcionalidade do brincar; b) existe alto grau de concordância dos professores a respeito da importância do brincar enquanto recurso didático no processo de alfabetização. No entanto, constatou-se heterogeneidade de idéias relacionadas à implementação da brincadeira no cotidiano da educação infantil, incluindo o papel do professor e dificuldades encontradas nesse processo. Nesse sentido, conclui-se que existe uma necessidade de promoção de aperfeiçoamento profissional dos professores que enfatize questões teóricas e práticas, visando uma efetiva utilização da brincadeira no cotidiano da educação infantil.

 

Palavras-chave: brincadeira; desenvolvimento infantil; educação infantil.


Palavras-chave


brincadeira; desenvolvimento infantil; educação infantil

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v10i2.7686

Direitos autorais