CARACTERÍSTICAS DAS ÁGUAS DO SISTEMA AQÜÍFERO SERRA GERAL NO ESTADO DO PARANÁ

ANTONIO CARLOS BUCHMANN FILHO

Resumo



O intuito principal do presente estudo foi verificar
a interconexão entre aqüíferos diferentes, analisando as
características da água subterrânea do aqüífero Serra
Geral no estado do Paraná. Sobre as rochas vulcânicas
da Formação Serra Geral, esforços recorrentes desde o
Proterozóico reativaram várias zonas de fraqueza. Esses
eventos, somados às estruturas singenéticas dos
derrames vulcânicos, possibilitaram a criação de um
intrincado sistema de espaços abertos, por onde a água
circula. Dessa forma, o estudo da água de poços tubulares
profundos possibilitou caracterizar sua tipologia e
relacioná-la com zonas de falhamentos e de grande incidência
de diques de diabásio, identificando áreas propícias
à interação entre aqüíferos diferentes. Para tanto,
utilizou-se os registros de poços tubulares profundos
cadastrados no Banco de Dados Hidrogeológicos cedido
pela SUDERHSA - Superintendência de Desenvolvimento
de Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental do
Paraná. A análise foi efetuada sobre dados físico-químicos
referentes à temperatura, pH, sólidos totais dissolvidos,
bicarbonato, sulfato, cloreto, cálcio, magnésio,
sódio, potássio e sílica dissolvida, assim como de dados
hidrodinâmicos referentes à profundidade das contribuições
de água, posição do nível estático, posição
do nível dinâmico, vazão e capacidade específica de exploração.
Por meio de uma filtragem sobre 2.846 registros, definiu-se 238 dados a serem utilizados, que foram
separados por bacias hidrográficas de grande porte. Procedeu-se sobre esses uma análise estatística básica,
obtendo-se os teores médios, a mediana, o desvio padrão,
os máximos e mínimos. Foi possível caracterizar a
tipologia bicarbonatada cálcica como sendo inerente ao
aqüífero; a bicarbonatada mista que, por vezes, pode sugerir
conexão entre aqüíferos; a bicarbonatada sódica que
acompanhada de pH alcalino e teores de sódio acima de
19,39 mg/L é proveniente da mistura entre aqüíferos.
Ocorrem também outras tipologias menos freqüentes de
água, que foram relacionadas à interação de fatores como
ação antrópica e mistura entre aqüíferos diferentes, sugerindo
correlação com os diques de diabásio, capazes
de constituir barreiras ao fluxo da água subterrânea favorecendo
seu enriquecimento salino. Com base nos
teores de concentração das espécies dissolvidas, foi
reconhecida uma compartimentação regional que mostra
teores mais baixos ao sul da zona de falha de Cândido
de Abreu/Campo Mourão e teores mais altos ao
norte. A distribuição das diferentes tipologias de água
permitiu identificar zoneamentos hidroquímicos
correlacionados com estruturas de falhamentos, sendo
possível reconhecer locais preferenciais de interconexão
entre aqüíferos diferentes, preferencialmente segundo a
direção NW.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/geo.v52i0.4212

Boletim Paranaense de Geociências. ISSN: 0067-964X
 
 
Programa de Pós-Graduação em Geologia da UFPR