INFLUÊNCIA DE ALGUMAS VARIÁVEIS GEOLÓGICO-AMBIENTAIS NA ESTIMATIVA DA CAPACIDADE DE CARGA DOS SOLOS DE PORTO ALEGRE E PASSO FUNDO POR SPT E CPT

ROBERTO HARB NAIME

Resumo



Este trabalho realizou estudos comparativos para
testar a influência de algumas variáveis geológico-ambientais
na determinação da estimativa da capacidade
de carga dos solos, por meio da aplicação de Standard
Penetration Test (SPT) e Cone Penetration Test (CPT) na
investigação geotécnica. Os estudos foram realizados
em cálculos geotécnicos de capacidade de carga dos
terrenos. As comparações utilizaram métodos de cálculo
recomendados por autores, e de uso intensivo e disseminado,
de forma que se tornaram padrões na avaliação
da capacidade de carga dos terrenos, e as clássicas
comparações entre K (resistência de ponta do cone (q c )/
número de golpes das sondagens à percussão (N) x profundidade
e q c x N. Parâmetros de solos residuais e
aluvionares de Porto Alegre e de Passo Fundo, no Rio
Grande do Sul, foram utilizados. As metodologias utilizadas
e os resultados obtidos indicaram que as razões
entre as resistências explicitadas pelas capacidades de
carga calculadas por SPT e CPT são afetadas por variáveis
geológico-ambientais, além dos critérios
granulométricos considerados nas interpretações. A natureza
geológica dos terrenos apresentou maiores variações
nas razões K para os granitos tipo Morrinhos e
menores variações para os granitos tipo Cerro Grande.
Nas co-variáveis maturidade, condições geomorfológicas
e influência de uma zona de falha, testadas em solos
derivados dos granitos tipo Cerro Grande, nos solos residuais
de Porto Alegre, as variações de estimativa de capacidade
de carga e dos diagramas K x profundidade e
q c x N mostraram-se significativas, com variações estatisticamente
relevantes em todos os cálculos e indicadores
testados. Mesmo nos solos aluvionares em Porto
Alegre, em terrenos para os quais o CPT foi originalmente
projetado, as variações na aferição da resistência dos
solos por SPT e CPT foram relevantes em diferentes tipos
de aluvião, e ocorreram diferenças no
dimensionamento das capacidades de carga; nos diagramas
K x profundidade e nas razões entre resistência
de ponta do cone e número de golpes das sondagens à
percussão. Nos solos de Passo Fundo, os estudos demonstraram
que o estágio de maturidade dos solos e as
condições geomorfológicas foram fatores relevantes, para
o mesmo tipo de solo, derivado da decomposição das
rochas basálticas. As conclusões do trabalho indicaram
que, para os terrenos considerados, as variáveis geológico-
ambientais estudadas e, possivelmente, outras causas,
precisam ser consideradas e monitoradas nos trabalhos
para determinação mais adequada dos coeficientes
de correlação e correção, responsáveis pelas interpretações
geotécnicas.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/geo.v51i0.4193

Boletim Paranaense de Geociências. ISSN: 0067-964X
 
 
Programa de Pós-Graduação em Geologia da UFPR