AVALIAÇÃO MENSAL DE PERDAS DE SOLO NO ALTO CURSO DO RIO AQUIDAUANA-MS

JUCIMAR APARECIDA GUEDES

Resumo



Neste trabalho são apresentados os resultados alcançados
no estudo do processo erosivo laminar no alto
curso da bacia do rio Aquidauna-MS, através da aplicação
dos parâmetros que compõem a Equação Universal de
Perdas de Solo (EUPS), avaliados de forma mensal e
multitemporal, num período de 30 anos. A área em consideração
compreende dois domínios geomorfológicos bem
distintos: a Chapada de São Gabriel, onde se concentram
as atividades de agricultura intensiva, especialmente cultivo
de soja e milho e as áreas circundantes, de relevo mais
degradado e dissecado, onde as terras são utilizadas principalmente
para pastagem. As épocas do ano em que a
erosão laminar é mais intensa foram definidas, principalmente,
em função da erosividade (R) da chuva, do fator
uso do solo (C), e do fator P, ou de práticas
conservacionistas. A precipitação anual varia em torno de
1.500 mm, concentrando-se nos meses de janeiro a março.
Isto implica no valor encontrado para C em áreas agrícolas,
que no período de outubro a março é oito vezes
maior que no restante do ano, representando assim uma
acentuada variação climática sazonal coincidente com o
período de preparo do solo e plantio. Estes dados, juntamente com os outros fatores (K, L e S) que compõem a
EUPS, foram trabalhados em ambiente SIG, e os valores
obtidos de A indicaram uma perda anual de solo na bacia
estudada de 47.019 toneladas em 1966; 1.421.798 toneladas
em 1985 e 1.356.162 toneladas em 1996 e uma
média de solo perdido por hectare de 0.24 toneladas em
1966; 7.52 toneladas em 1985 e 7.17 toneladas em 1996.
Sendo que os meses de janeiro, fevereiro, novembro e
dezembro, são os meses que concentram maiores perdas
de solo, com 52% para o ano de 66, 78% para o ano
de 85 e 71% para o ano de 96. Estas perdas ocorrem em
áreas com predomínio de solos neossolos litólicos e, principalmente,
neossolos quartzarênicos ou na transição
deste com latossolos, próximos à escarpa. Com a aplicação
da equação de Razão de Perdas de Solo, verificou-se
que aproximadamente metade dos sedimentos ficam retidos
dentro dos limites da bacia. A principal causa do aumento
excessivo de perdas de solo no período estudado
está na condição da redução significativa de áreas naturais,
ou seja, floresta e cerrado para implementação de
áreas agrícolas e de pastagem.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/geo.v51i0.4192

Boletim Paranaense de Geociências. ISSN: 0067-964X
 
 
Programa de Pós-Graduação em Geologia da UFPR