A teoria do U invertido: um teste da hipótese de Kuznets para a relação entre crescimento econômico e desigualdade de renda no Brasil

Wesley Oliveira Santos, Fábio Rodrigues Moura, Anderson Renê Santos Silva, Danilo Lima Matos, Tácito Augusto Farias

Resumo


O presente artigo examina a relação entre crescimento econômico e desigualdade na distribuição de renda no Brasil, com o intuito de verificar, para o país, a aplicabilidade da hipótese do “U-invertido” formulada por Simon Kuznets (1955), a qual estabelece que a referida relação segue um padrão onde a desigualdade é crescente nos primeiros estágios de desenvolvimento até um ponto de inflexão, a partir do qual a mesma passa a cair ao longo da ocorrência do crescimento econômico. Mediante aplicação de um modelo econométrico auto regressivo de primeira ordem (AR1) a séries de tempo, foi possível comprovar empiricamente a teoria proposta por Kuznets, ou seja, que a relação entre desigualdade de renda e crescimento econômico para o Brasil no período 1976-2007 segue o formato de “U invertido”.

Palavras-chave


desigualdade de renda; distribuição de renda; crescimento econômico; curva de kuznets.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/re.v37i2.27235

Revista de Economia

ISSN 0556-5782 (impresso)
ISSN 2316-9397 (online)