Entre a Razão e a Prática: o sistema cinta-larga na Amazônia contemporânea

João Dal Poz

Resumo


As transações com garimpeiros e madeireiros, nas duas últimas décadas, impulsionaram dramáticas mudanças no estilo de vida dos Cintas-Largas, um povo de língua tupi-mondé da Amazônia meridional. Este artigo procura compreender estes eventos nos termos de um sistema ou modelo cultural, orientado pela reciprocidade assimétrica e desigual, cuja lógica canibal converte seres e qualidades exteriores em valor para suas operações. A observação etnográfica, todavia, encontra um entorno contemporâneo de alta complexidade – agrupamentos urbanos, vias de transporte, redes mercantis e ilícitas, mediações financeiras, aparatos estatais, meios de comunicação e artefatos tecnológicos variados. A aplicação da noção de sistemas auto-referentes, desenvolvida por Niklas Luhmann, sugere uma perspectiva instigante e inovadora.


Palavras-chave


etnologia sul-americana; Amazônia; Tupi-Mondé; Cinta-Larga; sistema auto-referente

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cam.v8i2.9623

Direitos autorais