Open Journal Systems

A INFLUÊNCIA DAS MÍDIAS SOCIAIS NO USO DE MEDICAMENTOS

Fernanda do Nascimento WOLFF, Leyde Daiane DE PEDER

Resumo


Com a expansão que a internet vem tomando em conjunto com a visibilidade de pessoas que trabalham com as mídias sociais disponíveis nela, pode ocorrer a influência do uso de produtos e até mesmo medicamentos. A vista disso este estudo abordará como as pessoas são influenciadas digitalmente se tratando do uso de medicamentos, onde em grande parte iniciam o tratamento sem prescrição médica, gerando a automedicação e podendo resultar em efeitos colaterais e reações adversas relacionados a medicamentos. Estudo descritivo e quantitativo, realizado com acadêmicos de um centro universitário do município de Cascavel-PR em março de 2021, utilizando-se instrumento para coleta de dados, após aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP). Observou-se que dos 107 acadêmicos entrevistados, 65,42% realizaram a automedicação em virtude da influência das mídias sociais, onde 68% eram do curso de Farmácia, sendo o analgésico a classe medicamentosa mais utilizada (42,99%) podendo estar relacionado com o motivo pela busca de medicamentos mais citado em 71,96% das situações a cefaleia. Dos entrevistados, 30,84% citaram a facilidade de acesso ao medicamento como o maior motivo que levaram a automedicação. A automedicação é bastante comum entre os acadêmicos, demonstrando maior frequência nos acadêmicos que cursam farmácia.


Palavras-chave


Automedicação. Efeitos Colaterais e Reações Adversas Relacionados a Medicamentos. Mídias Sociais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/acd.v22i3.81365