Open Journal Systems

INTERVENÇÕES FARMACÊUTICAS NA UTI E SUA EFETIVIDADE: UMA REVISÃO INTEGRATIVA.

Letícia Coelho Queiroz de Lima Alves, Annalu Moreira Aguiar, Ana Emília Formiga Marques, Rafael de Carvalho Mendes, Mayka Aguiar Brilhante

Resumo


A Unidade de Terapia Intensiva (UTI), consiste em um espaço que oferece cuidados a pacientes em estado crítico de saúde. Com a necessidade de intensidade a assistência, a equipe deve ser composta por profissionais de várias áreas, garantindo um atendimento integral e eficaz. O presente trabalho teve como objetivo investigar quais os tipos de intervenções farmacêuticas que acontecem na UTI e associar a efetividade das mesmas, pontuando quais ocasiões esse serviço é necessário. A coleta de dados foi realizada através de um levantamento de artigos nas bases de dados Scientific Electronic Library Online (SCIELO) e Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) utilizando os descritores: Cuidados críticos; Unidade de Terapia Intensiva (UTI); Unidad de Terapia Intensiva; Assistência Farmacêutica; Cuidado Farmacéutico; Farmácia Clínica; Intervenção Farmacêutica e Intervención Farmacéutica, fazendo o uso de artigos em português e espanhol, publicados entre os anos de 2015 à junho de 2020, sendo excluídos aqueles de revisão de literatura e que não tinham informações sobre os principais motivos e tipos de intervenção farmacêutica relacionadas ao setor da UTI, e os estudos que não estejam disponíveis na íntegra online. Foram encontrados 167 artigos científicos, onde 8 se enquadraram nos critérios de inclusão e exclusão, encontrando resultados nos quais demonstram que as intervenções farmacêuticas na maioria das vezes são aceitas e quando não, são justificadas, cuja as mesmas são mais voltadas para os médicos e enfermeiros, e foi observado que estão relacionadas ao manejo de diluição, tempo de infusão dos medicamentos e ajuste de dose. Ao término do estudo conclui-se que a presença do farmacêutico é crucial na unidade de terapia intensiva, tanto no ponto de vista clínico como econômico.

Palavras-chave


Unidades de Terapia Intensiva. Erros de Medicação. Farmácia Clínica. Efeitos Adversos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/acd.v23i2.78296