Open Journal Systems

ADESÃO AO TRATAMENTO FARMACOLÓGICO DO DIABETES MELITTUS 2: Revisão de literatura integrativa.

Flávia Daniele Morais De BRITO, Annalu Moreira AGUIAR, Rafael de Carvalho MORAIS, Ana Emília Formiga MARQUES, Wallyson Junio Santos de Araujo ARAÚJO

Resumo


Introdução: O Diabetes Mellitus é uma doença que acomete parte significativa da população brasileira e mesmo com tantas pesquisas e avanços destinadas a terapia medicamentosa o tratamento da mesma ainda é visto como grande problema para as pessoas com essa condição.
Essa visão e as características inerentes ao tratamento dificultam à adesão da terapia medicamentosa. Objetivo: O estudo objetiva avaliar os desafios para adesão da terapia medicamentosa em pacientes diabéticos do tipo 2. Metodologia: Revisão de literatura integrativa, bibliográfica com pesquisa nas bases de dados Scientific Electronic Library Online e Literatura Latino Americana e do Caribe em Ciências de Saúde a partir dos descritores: Adesão ao tratamento; Diabetes Mellitus e Terapia Medicamentosa. Os filtros
utilizados para a busca dos artigos incluem os critérios de inclusão, como a seleção de artigospublicados entre maio de 2016 e maio de 2020, nos idiomas português, inglês e espanhol, e os critérios de exclusão removendo outras revisões de literaturas, monografias, trabalhos de conclusões de curso, teses de mestrado e doutorado além de relatos de casos. Todos os artigos selecionados devem possuir ideia principal do estudo de acordo com os objetivos desse
estudo. Resultados: Foram encontrados 52 231 nas bases de dados selecionadas, porém apenas 24 artigos estavam de acordo com os objetivos desse estudo. Conclusão: Fatores como a complexidade da terapia medicamentosa, os índices metabólicos, saúde mental e questões
sociais como crenças e analfabetismos entram em questão no debate da adesão a terapia medicamentosa. A adesão à terapia medicamentosa é fortemente influenciada pelo protocolo de tratamento do diabetes e a realidade do paciente.


Palavras-chave


Cooperação e Adesão ao Tratamento; Diabetes Mellitus; Tratamento Farmacológico.



DOI: http://dx.doi.org/10.5380/acd.v23i1.75841