ESTUDO FITOQUÍMICO E DE ATIVIDADE ANTIMICROBIANA DE Ptychopetalum olacoides Bentham

P. D. MONTRUCCHIO, O. G. MIGUEL

Resumo



A espécie Ptychopetalum olacoides Bentham, popularmente conhecida como marapuama ou
muirapuama, é uma Olacaceae nativa da região norte do Brasil, há muito conhecida e utilizada
por suas propriedades estimulantes e afrodisíacas, sendo inclusive exportada para diversos países.
O estudo fitoquímico do lenho desta árvore, neste trabalho representado pelos galhos da planta,
revelou a presença majoritária de vários ácidos graxos, esteróides e xantinas, sendo eles: ácido
palmítico, ácido esteárico, -sitosterol, estigmasterol, lupeol, glutinol, a-amirina, cafeína, teobromina
e adenina, sendo que as três últimas não haviam ainda sido reportadas na espécie. O estudo das
atividades antimicrobianas revelou que os extratos da planta não apresentam atividade inibitória
sobre o desenvolvimento de cepas de Escherichia coli, Staphylococcus aureus ou Staphylococcus
epidermidis. Porém, o resíduo do extrato alcoólico apresenta uma significativa ação inibitória do
crescimento micelial de Colletotrichum acutatum, e ação menos pronunciada sobre o crescimento
de Fusarium oxysporum.

PHYTOCHEMICAL STUDY AND ANTIMICROBIAL ACTIVITY OF Ptychopetalumolacoides Bentham

Abstract


Ptychopetalum olacoides Bentham, popularly known as marapuama or muirapuama, is an
Olacaceae native from north Brazil, known and used for its stimulating and aphrodisiac properties for
a long time, being also exported to several countries all over the world. The phytochemical study of
the wood of this tree, represented by its stems, revealed the presence of several fatty acids, sterols
and xanthines, including palmitic acid, stearic acid, -sitosterol, stigmasterol, lupeol, glutinol, a-amirin,
caffeine, theobromine and adenine, and the latest three substances have not been reported in this
specie yet. The study of antimicrobial properties revealed that the plant extracts dont have any
inhibitory activity against strains of Escherichia coli, Staphylococcus aureus or Staphylococcus
epidermidis. However, the alcoholic extract residue does have a remarkable inhibitory action on the
mycelial growth of Colletotrichum acutatum and Fusarium oxysporum.26


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/acd.v3i2.515