Open Journal Systems

ALLELOPATHY OF EXTRACT AND FRACTION OF STEM BARK OF Dasyphyllum tomentosum (Spreng.) Cabrera

Cristiane da Silva PAULA, Cristiane Bezerra da SILVA, Obdulio Gomes MIGUEL, Marilis Dallarmi MIGUEL

Resumo


Os vegetais liberam no ambiente os aleloquímicos, que podem influenciar no desenvolvimento de outros vegetais. O objetivo deste trabalho consistiu em verificar a atividade alelopática de extratos e frações de Dasyphyllum tomentosum (Spreng.) Cabrera obtidos das cascas do caule sobre a germinação e crescimento inicial, respiração e fotossíntese de Lactuca sativa (alface). Extrato etanólico bruto e frações hexano, clorofórmio, acetato de etila e hidro alcoólica residual foram submetidos aos ensaios. Cinquenta sementes de alface colocadas em contato com cada amostra foram mantidas numa câmara de germinação durante 7 dias com contagem diária das sementes germinadas. Medidas de radícula e hipocótilo das plântulas foram realizadas após três dias de protrusão radicular. Interferência sobre o processo respiratório das raízes foi avaliada com cloreto de trifenil tetrazólio. Para o teor de clorofila, leitura em espectrofotômetro ocorreu após 24 horas de contato com dimetilsulfoxido. Observou-se interferência na porcentagem de germinação, com destaque para FCl com 72% de germinação. Estímulo do crescimento da radícula e inibição do hipocótilo. Nenhuma interferência sobre o conteúdo de clorofila total e foi observada redução da respiração radicular. Conclui-se que cascas do caule de Dasyphyllum tomentosum (Spreng.) Cabrera podem apresentar atividade alelopática interferindo em diferentes funções

Palavras-chave


Alelopatia, aleloquímicos, Dasyphyllum tomentosum, Lactuca sativa.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/acd.v15i4.39519