COMPARAÇÃO DE PROTOCOLOS EM ENSAIOS DE PREFERÊNCIA ALIMENTAR EM CÃES

Carolina Pedro Zanatta, Diego Surek, Larissa Wünsche Risolia, Tabyta Tamara Sabchuk, Ananda Portella Félix, Alex Maiorka, Simone Gisele Oliveira

Resumo


Com o objetivo de determinar o protocolo mais adequado para realização de ensaios de preferência alimentar, considerando como fonte de variação número de animais e dias de avaliação, foi realizado o presente experimento, avaliando razão de ingestão (RI) e primeira escolha em cães. Os tratamentos foram: Protocolo 1: 32 cães avaliados por um dia (P32); Protocolo 2: 16 cães avaliados por dois dias (P16); Protocolo 3: 8 cães avaliados por quatro dias (P8). Os protocolos foram planejados de forma a fornecer ao final do período de avaliação um total de 32 observações por tratamento, sendo cada protocolo repetido por quatro períodos de avaliação.  A RI do alimento A (RIA) foi calculada segundo a equação: RIA (%) = [Consumo A/(Consumo A + Consumo B)]*100. Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey (P<0,05). Para análise dos dados para primeira escolha, as observações foram agrupadas em relação à dieta A por protocolo, totalizando em 32 observações por protocolo, e comparadas pelo teste de Qui-quadrado. O P32 apresentou a RIA mais próxima de 50% (RIA = 51,77%), o que indica que o consumo de ambas a dietas foi próximo, não havendo preferência por alguma delas. Diferentemente do P16 (RIA = 54,97%), que apresentou preferência pela dieta A. O P8 foi igual aos demais protocolos (RIA = 54,00%). Para primeira escolha os três protocolos avaliados não diferiram entre si, sendo igualmente capazes de detectar diferença entre as dietas A e B. Conclui-se que, para ensaios de preferência alimentar, o protocolo mais adequado é utilizar 16 cães por dois dias (P16).


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/avs.v22i4.52121

Archives of Veterinary Science. ISSN: 1517-784X