ORQUIECTOMIA EM CAVALOS: COMPARAÇÃO ENTRE TRÊS TÉCNICAS EM RELAÇÃO AO TEMPO CIRÚRGICO, COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS E TEMPO PARA ALTA HOSPITALAR

Jéssica Rodrigues Silva-Meirelles, Monalisa Lukascek Castro, Lilian Pamela Tapia Carreno Dornbush, Rogério Luizari Guedes, Ivan Roque Barros-Filho, Peterson Triches Dornbusch

Resumo


A orquiectomia é utilizada para esterilizar cavalos de baixo valor genético, melhorando o manejo. Pode ser realizada com anestesia geral ou local, em decúbito dorsal ou em estação. Algumas complicações podem ocorrer como hemorragia, edema, infecção e peritonite. O objetivo deste trabalho foi comparar o tempo cirúrgico, a ocorrência de complicações pós-operatórias e o tempo de internamento de cavalos submetidos à orquiectomia eletiva por meio de três diferentes técnicas empregadas por alunos e residentes do curso de medicina veterinária. Foram utilizados 25 cavalos, sendo separados em três grupos: grupo 1 (EMA, n=8), submetidos à orquiectomia bilateral em posição quadrupedal, bloqueio local e sedação, hemostasia com emasculador onde a túnica vaginal foi mantida aberta; grupo 2 (BRA, n= 8), submetidos à orquiectomia bilateral em posição quadrupedal, bloqueio local e sedação, hemostasia com duas abraçadeiras de náilon de 2,5mm e túnica vaginal mantida aberta; grupo 3 (ING, n=9), submetidos à orquiectomia bilateral em decúbito dorsal e anestesia geral, hemostasia com emasculador, e túnica vaginal e pele suturadas. O tempo médio dos procedimentos foi de 16,3±2,5min no grupo EMA, 14,5±1,6min no grupo BRA e 64,4±16,6min no grupo ING. No pós-operatório dos animais não foi observado sangramento no grupo ING; no grupo EMA houve sangramento grau 2 e no grupo BRA houve sangramento grau 1. O tempo médio de internamento foi de 22,7±3,2 dias, 20,75±0,7 dias e 10,7±4,5 dias respectivamente. A orquiectomia bilateral sob efeito de anestesia geral e fechamento da túnica vaginal, demanda maior tempo cirúrgico quando comparada às orquiectomias realizadas com os cavalos em posição quadrupedal e manutenção da túnica aberta. Porém, não foram observadas complicações pós-operatórias nos animais castrados com essa técnica, diminuindo assim o tempo de internação hospitalar e os cuidados pós-operatórios.


Palavras-chave


castração; cirurgia; equinos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/avs.v22i4.48240

Archives of Veterinary Science. ISSN: 1517-784X