Atividade ovicida e larvicida do extrato hidroalcoólico de Artemisia annua sobre Haemonchus contortus

Lew Kan Sprenger, Juliana Bello Baron Maurer, Selma Faria Zawadzki Baggio, Pedro Melillo de Magalhães, Marcelo Beltrão Molento

Resumo


Haemonchus contortus é responsável por causar enorme prejuízo econômico na produção de pequenos ruminantes, retardando o crescimento e causando anemia em animais infectados. O objetivo deste trabalho foi determinar a eficácia in vitro do extrato hidroalcoólico de Artemisia annua frente a estágios de vida livre deste parasito. O fitoterápico foi produzido com 7 dias de percolação a 4ºC, sendo posteriormente liofilizado. Foram realizados o teste de eclodibilidade de ovos (TEO) e o teste de desenvolvimento larval (TDL), com concentrações crescentes (0,78 a 50 mg/mL) em seis repetições. Para analisar a composição química do fitoterápico, procedeu-se a marcha fitoquímica completa. O produto obtido a partir da A. annua apresentou eficácia de 93,22% (±1,87) no TEO, já no TDL a eficácia foi de 90,33% (±0,27), ambos na concentração de 50 mg/ml. Nas análises fitoquímicas, foram encontrados diversos compostos que podem ter contribuído com o efeito anti-helmíntico, tanto direta como indiretamente. Os dados da marcha fitoquímica, aliados aos resultados dose-dependentes obtidos nos testes in vitro evidenciam que o extrato produzido possui potencial para combater H. contortus. Novos estudos devem ser realizados buscando maximizar a eficácia deste extrato.


Palavras-chave


Controle alternativo; etnoveterinária; fitoterapia; infecção parasitária

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/avs.v21i4.44485

Archives of Veterinary Science. ISSN: 1517-784X