INITIATION STRATEGIES FOR RENAL-REPLACEMENT THERAPY IN THE INTENSIVE CARE UNIT – AKIKI STUDY

Leticia Rosevics, Mauricio de Carvalho

Resumo


O início da terapia de substituição renal em pacientes de unidade de terapia intensiva se constitui em um caminho cheio de incertezas. Visando supri-las, o trial AKIKI através de um estudo não cego, prospectivo, multicêntrico, aberto, randomizado buscou avaliar terapia de substituição renal de início precoce versus retardar a mesma. Apesar do estudo pontuar alguns benefícios da terapia retardada, não houve significância estatística no desfecho primário de mortalidade em 60 dias entre os grupos.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rmu.v4i4.50651

DOI (PDF): http://dx.doi.org/10.5380/rmu.v4i4.50651.g31702

Apontamentos

  • Não há apontamentos.