O LEITOR QUE ME TORNEI: EXPERIÊNCIAS E CONCEPÇÕES DE FUTUROS PROFESSORES DE INGLÊS SOBRE A LEITURA

Rafael Leonardo da Silva, Simone Reis

Resumo


RESUMO:

Este artigo analisa dados do projeto de pesquisa Pensamento Crítico para Ação Transformadora, que visa contribuir para o desenvolvimento da área de pesquisa de Letramento Crítico em língua estrangeira no Brasil. Adotamos visão construcionista social do conhecimento (SCHWANDT, 2006). Tal visão é subjetiva, e considera a linguagem um instrumento de poder construído socialmente. No presente artigo, narrativas de futuros professores são analisadas a respeito de suas experiências de leitura desde a infância até sua entrada no curso de graduação de Letras - Inglês e Respectivas Literaturas da Universidade Estadual de Londrina. Tais narrativas foram uma tarefa escrita da disciplina intitulada Leitura em Língua Inglesa no ano de 2012. Procuramos identificar (1) a relação destes alunos com a leitura, (2) os gêneros que eles leem, bem como (3) experiências que eles têm em comum. Nossa interpretação aponta para influências externas aos leitores em seu desenvolvimento e sua visão positiva sobre a leitura na infância como fator determinante para o desenvolvimento deste hábito. Mostra, também, que enquanto os alunos exercem agência através de suas escolhas de leitura na adolescência, é nesta fase e na vida adulta, neste caso, na universidade, que as leituras obrigatórias parecem não ser tão apreciadas. Enquanto a leitura recreativa na vida adulta se torna quase inexistente nas narrativas analisadas, a leitura de textos acadêmicos é considerada importante e/ou necessária para o desenvolvimento profissional.

 

PALAVRAS-CHAVE: Educação de professores de inglês; educação de leitores; narrativa.

ABSTRACT: This article analyses data from the research project “Pensamento Crítico para Ação Transformadora” (Critical Thinking for Transformative Action), which aims at contributing to the development of the research area of Critical Literacy in foreign language in Brazil. We adopt a social constructionist view of knowledge (SCHWANDT, 2006). This view is subjective, and assumes language to be a socially constructed power instrument. In this paper, narratives of prospective teachers are analyzed in regard with their reading experiences since childhood until their entrance in the undergraduate course of English Language and Literature from the State University of Londrina, Brazil.. Such narratives were a writing assignment of the course subject entitled, Leitura em Língua Inglesa (Reading in English language) in the year of 2012. We aim at identifying (1) the relationships of the students with reading, (2) the genres which they read, as well as (3) experiences which they have in common. Our interpretation points to external influences to the readers in their development and their positive view about reading in childhood as a determining factor for the development of such habit. It also shows that while students exert agency by means of their choices of reading in adolescence, it is in this phase and in adulthood, namely at university, that compulsory reading seems to be not that much appreciated. While leisure reading in adulthood becomes almost non-existent in the narratives analyzed, reading of academic texts is accounted for as important and or necessary for professional development.

 

KEYWORDS: English language teacher education; reading education; narrative.


Palavras-chave


Letramento crítico; educação de leitores; narrativa

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rvx.v2i0.33860


Revista X. ISSN: 1980-0614