CONTROLE DA EROSÃO EM MARGENS DE CURSOS D’ÁGUA: DAS SOLUÇÕES EMPÍRICAS À TÉCNICA DA BIOENGENHARIA DE SOLOS

Francisco Sandro Rodrigues Holanda, Arilmara Ábade Bandeira, Igor Pinheiro da Rocha, Renisson Neponuceno de Araújo Filho, Luisa Ferreira Ribeiro, Marcelo Alário Ennes

Resumo


O objetivo deste trabalho foi identificar analiticamente formas de controle da erosão em margens de cursos d’água no Estado de Sergipe fruto do empirismo das populações ribeirinhas ou resultante das intervenções com obras civis ou bioengenharia de solos. As áreas estudadas compreendem trechos das margens dos rios São Francisco, Sergipe e Paramopama, localizados nas cidades de Propriá, Aracaju e São Cristóvão, respectivamente. A população ribeirinha tem procurado amenizar o processo erosivo por meio da utilização de materiais de baixo custo. Tem sido implantados enrocamentos nas margens dos rios além do uso de técnicas de bioengenharia de solos, que protege imediatamente o solo e proporciona rápido desenvolvimento da vegetação.

Palavras-chave


populações tradicionais; rio; degradação ambiental

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v17i0.12404

Direitos autorais

_____________________________________________

ISSN (IMPRESSO) 1516-4136 até 2008

ISSN (ELETRÔNICO) 2177-2738 a partir de 2009