Comportamento supersticioso em esquemas múltiplos: estudo sobre a interação do comportamento verbal com o comportamento mantido por relação acidental com reforço

Marcelo Benvenuti, Paulo Panetta, Cássia da Hora, Silvia Ferrari

Resumo


A interação do comportamento “supersticioso” com o comportamento verbal foi avaliada em três experimentos. Os participantes receberam diferentes instruções sugerindo que responder poderia produzir pontos. Nas sessões experimentais, a cor de um retângulo que aparecia no monitor de um computador era relacionada à vigência de uma situação de apresentação de pontos independentemente do responder ou à vigência de outra situação em que os pontos não eram apresentados (mult VT 8 s EXT). Ao final de cada sessão, os participantes tinham que descrever o que faziam na sessão. Nos três experimentos, apenas alguns participantes desenvolveram comportamento “supersticioso”, independentemente do tipo de instrução apresentada no início da sessão. Ao final das sessões, os participantes descreviam seus próprios comportamentos. Os resultados sugerem que o desempenho não-verbal do participante controlou seus auto-relatos e que as próprias contingências do esquema múltiplo foram responsáveis pelo comportamento “supersticioso” mais do que instruções ou autorelatos.

 

Palavras-chave: comportamento “supersticioso”; contigüidade; instruções; comportamento verbal.

 


Palavras-chave


comportamento supersticioso; contigüidade; instruções; comportamento verbal

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v12i1.8699

Direitos autorais