Cyklistforbundet: da ecossocioeconomia à convivencialidade

Jorge Gustavo Barbosa de Oliveira, Janaina Mayara Müller da Silva, Lars Bohn, Carlos Alberto Cioce Sampaio

Resumo


Este artigo tem como objetivo discutir a atuação da Cyklistforbundet (Federação dos Ciclistas) enquanto prática ecossocioeconômica e convivencial. Essa entidade, fundada em 1905, congrega os ciclistas dinamarqueses por meio de projetos voltados à tomada de consciência e mobilização dos cidadãos em defesa dos interesses do ciclismo, em interface com o Estado e diferentes setores da sociedade civil, constituindo-se em prática ecossocioeconômica na qual promove o bem-viver das gerações atual e futuras. Realizou-se revisão bibliográfica envolvendo os temas do ecodesenvolvimento, desenvolvimento à escala humana, ecossocioeconomia e convivencialidade. Trata-se de pesquisa exploratória, por meio de aplicação de questionário à entidade e pesquisa documental em sítios dela, para verificar seu modo de atuação no território. Concluiu-se que a federação passa por metamorfoses concomitantes às transformações da sociedade dinamarquesa, assumindo interesses de setores sociais – com os quais dialoga – de modo a intervir nas questões políticas, culturais e existenciais ao longo do tempo. A Cyklistforbundet tanto reforça a identidade dos dinamarqueses quanto contribui para o fortalecimento da democracia participativa na Dinamarca.

Palavras-chave


Cyklistforbundet; ciclismo; ecossocioeconomia; identidade; democracia participativa

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/dma.v41i0.44567

Desenvolvimento e Meio Ambiente. ISSN: 1518-952X, eISSN: 2176-9109
 
Flag Counter