INJUSTIÇAS AMBIENTAIS NA CIDADE DE SOBRAL/CE: UMA ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO DE RENDA E DAS ÁREAS DE RISCOS

Henrique Ricardo Souza Ziegler, Ana Kércia Sousa Mariano, Silvia Juliane Ventura

Resumo


A finalidade deste artigo é refletir sobre as injustiças ambientais na cidade média de Sobral/CE. O objetivo principal foi propor um mapeamento das injustiças ambientais no município, a partir da análise de duas problemáticas: distribuição da renda na cidade e os riscos ambientais (áreas de alagamento e linhas de transmissão). Primeiramente, realizamos uma discussão sobre os fatores que favoreceram a concentração populacional na cidade, a desconcentração industrial em 1970, a emergência das cidades médias na década de 1990, bem como, sua importância econômica e social. Em seguida, elaboramos uma breve introdução sobre as finalidades da justiça ambiental, em especial, no Brasil, depois fizemos um paralelo entre o desenvolvimento urbano e suas contradições socioambientais na cidade. Entrando no contexto de Sobral, apontamos os principais problemas relacionados ao acesso da população pobre aos bens e serviços públicos e a sua fixação em áreas de risco de alagamento e próximas as linhas de transmissão. Realizamos um registro fotográfico e a localização das áreas de riscos. E por último, discutimos e constatamos as contradições socioambientais encontradas no espaço urbano de Sobral, ou seja, a população de baixa renda, na sua maioria, localiza-se em áreas de riscos, estando mais vulnerável aos riscos ambientais da cidade.


Palavras-chave


Justiça ambiental; Vulnerabilidade Socioambiental; Cidade de médio porte; Alagamento, Linhas de transmissão

Texto completo:

ARTIGO


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/geografar.v11i1.48982

Revista Geografar ISSN: 1981-089X