COMPLEXOS EÓLICOS E INJUSTIÇAS AMBIENTAIS: MAPEAMENTO PARTICIPATIVO E VISIBILIZAÇÃO DOS CONFLITOS PROVOCADOS PELA IMPLANTAÇÃO DE PARQUES EÓLICOS NO CEARÁ

Lígia Alves Viana, João Luís Joventino do Nascimento, Antônio Jeovah de Andrade Meireles

Resumo


O Estado do Ceará tem intensificado os investimentos para o mercado de suprimentos energéticos através de política(s) de desenvolvimento caracterizada(s) por incentivos à implantação de grandes indústrias e agroindústrias. Este estudo tem como objetivo analisar conflitos e (in)justiças ambientais ocasionados pela implantação de Parques Eólicos na Zona Costeira do Ceará por meio da experiência de intercambio entre comunidades que ocorreu em 2014 no Assentamento Maceió e ainda pautando os impactos socioambientais que podem advir com a implantação do projeto do Complexo Eólico Baleia no entorno do  Assentamento Maceió, localizado no município de Itapipoca/CE. Para tanto, o percurso metodológico foi baseado em pesquisa participante e elaboração de mapa dos conflitos provocados por parques eólicos no Ceará, por meio do mapeamento participativo e diálogo de saberes entre as comunidades, de modo a identificar os impactos sociais e ambientais impostos às comunidades pelos parques eólicos já implantados e as estratégias de garantia e defesa do território. 


Palavras-chave


Energia Eólica, Conflitos Ambientais, Mapeamento Participativo, Intercâmbio de Experiências

Texto completo:

ARTIGO


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/geografar.v11i1.48978

Revista Geografar ISSN: 1981-089X