ORGANIZAÇÃO SOCIOESPACIAL DOS TERRITÓRIOS QUILOMBOLAS: O CASO DO QUILOMBO DE NAZARÉ, ITAPIPOCA, CEARÁ

Leilane Oliveira Chaves, Edson Vicente da Silva

Resumo


Com a mobilização de diferentes setores da sociedade, as comunidades quilombolas contemporâneas inauguram um novo contexto nacional, saindo da invisibilidade pelo direito a auto definição. No Brasil, já foram identificadas cerca de 2 mil comunidades em diversas regiões brasileiras, muitas delas apresentam conflitos socioambientais dos mais diversos comprometendo o modo de vida local. Nesse sentido, buscou-se analisar as formas de organização e os conflitos socioambientais vivenciados pelos quilombolas de Nazaré, município de Itapipoca, no estado do Ceará. Para isso, tomou-se como ponto de partida, o levantamento de dados bibliográficos e cartográficos, a inserção de metodologias participativas como a Observação Participante e a metodologia da Cartografia Social, onde as observações demonstraram que as relações de parentesco são importantes elementos na vida social dos moradores, concretizando-se em um movimento de valorização de sua identidade quilombola e na possibilidade de resolução dos conflitos instaurados. Acredita-se que o trabalho é uma importante contribuição para a visibilidade do movimento quilombola cearense, além de um relevante documento com informações do quilombo de Nazaré.


Palavras-chave


Visibilidade, conflitos, recursos naturais

Texto completo:

ARTIGO


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/geografar.v11i1.48977

Revista Geografar ISSN: 1981-089X