QUALIDADE DA BIOMASSA FLORESTAL COMERCIALIZADA NO VALE DO ITAJAÍ, SC

Jackson Roberto Eleotério, Cláudia Mariana Kirchheim da Silva, Anderson Quintino, Antonio Carlos Stramosk, Rafael Kiefer

Resumo


Características tecnológicas como o alto teor de umidade e a baixa massa específica à granel afetam a competitividade da biomassa florestal e limitam a sua participação na matriz energética nacional. O objetivo deste trabalho foi determinar e comparar esses indicadores de qualidade em toretes e cavacos de Pinus sp., Eucalyptus sp. e misturas dessas e de outras espécies não identificadas. Foram coletadas 137 amostras no momento do recebimento pelas indústrias consumidoras, sendo 101 na forma de cavacos e 36 na forma de toretes. A massa específica à granel dos cavacos e o teor de umidade de Pinus sp. foram superiores aos obtidos para os cavacos de Eucalyptus sp. Apesar do maior teor de umidade, a massa específica anidra dos cavacos de Pinus sp. foi superior à dos cavacos de Eucalyptus sp. Os toretes apresentam teor de umidade significativamente superior aos cavacos apenas para Pinus sp. Os teores de umidade se aproximam dos apresentados por diversos autores como encontrados em árvores em pé ou recém abatidas, mantendo-se constantes ao longo do tempo, indicando a ausência de práticas como a secagem para melhorar a qualidade da biomassa. 


Palavras-chave


Cavacos; energia da madeira; lenha; teor de umidade; massa específica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rf.v47i2.42655

Revista FLORESTA
ISSN Eletrônico 1982-4688
fone: 41 3360 4219
revista.floresta@gmail.com