REPRESENTAÇÕES E PRÁTICAS DE CUIDADO COM A FERIDA CRÔNICA DE MEMBRO INFERIOR: UMA PERSPECTIVA ANTROPOLÓGICA

Lucas Pereira de Melo, Nello Pereira da Silva, Kelly Cristina Lopes da Silva, Marco Philipe Teles Reis Ponte, Dulce Maria Rosa Gualda

Resumo


O objetivo deste estudo foi interpretar as manifestações e representações culturais de cuidado de usuários portadores de ferida crônica de membro inferior. Trata-se de pesquisa clínico-qualitativa realizada de fevereiro a março de 2010. Utilizou-se a entrevista individual semiestruturada a 8 usuários de serviço ambulatorial; as entrevistas foram analisadas por meio da técnica de análise de conteúdo. Do estudo emergiram as categorias temáticas: Não vejo a hora de sarar para trabalhar! - impacto da ferida na vida cotidiana; O povo vai me ensinando as coisas e eu faço! - práticas de cuidado com a ferida crônica; É o nervoso! - um modelo explicativo. Pode-se considerar que os diversos problemas de saúde que se tornam visíveis na materialidade do corpo físico são, igualmente, permeados por questões simbólicas que se inscrevem no plano da vida cotidiana dos seus portadores, reafirmando o caráter social do processo saúde-doença.

Palavras-chave


Ferimentos e lesões; Antropologia cultural; Enfermagem; Medicina tradicional.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v16i2.20804

 Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133