Bibliotecas universitárias federais e a noção de bens públicos

Ana Carolina de Souza Caetano

Resumo


Introdução: Aborda a noção de esfera pública, bens públicos e o acesso ao conhecimento no contexto das bibliotecas universitárias federais brasileiras com o objetivo de refletir, sob a perspectiva de Habermas (2003) e Bobbio (2007), os desafios de tais instituições enquanto bens públicos e, por conseguinte, facilitadoras do acesso aos registros do conhecimento em instituições de ensino superior federais. Tem como objetivo analisar a aplicação da noção de bens públicos nas bibliotecas universitárias federais, verificando os desdobramentos deste reconhecimento nas condições de acesso aos registros do conhecimento. Método: Trata-se de pesquisa documental e bibliográfica respaldada inicialmente nos autores supracitados, adicionando-se considerações derivadas de documentos que apresentam programas estatais e estudos acadêmicos que discutem a necessidade de efetiva política pública para as bibliotecas universitárias federais brasileiras. Resultados: Considerou-se que as bibliotecas universitárias federais brasileiras operam como contribuintes na construção do conhecimento científico e na formação humana e, ainda que não se reconheça a biblioteca universitária como “bem público” no âmbito da esfera pública, os documentos analisados reforçam a necessidade de articular distintas políticas públicas e investir na recomposição de quadros de bibliotecários. Conclusão: Enfatiza-se a importância das bibliotecas universitárias federais brasileiras como bens públicos devido a sua condição de agente contribuinte no acesso aos registros do conhecimento, promotora social da informação e partícipe na formação humana e como espaço a ser apropriado efetivamente por distintos atores sociais.


Palavras-chave


Acesso ao conhecimento; Política pública; Registros do conhecimento; Bibliotecas universitárias; Bens públicos

Texto completo:

HTML PDF EPUB

Referências


ANZOLIN, H. H.; CORRÊA, R. L. T. Biblioteca universitária como mediadora na produção de conhecimento. Revista Diálogo Educacional, v.8. n.25, p.801-817, set./dez. 2008. Disponível em: http://www2.pucpr.br/reol/index.php/DIALOGO?dd1=2448&dd99=view. Acesso em: 6 fev. 2013.

ARRIOLA NAVARETTE, Ó. Una caracterización de la biblioteca universitária atual. Revista Códice, v.5, n.2, Jul./Dic. 2009. Disponível em: http://eprints.rclis.org/14514/1/Una_caracterizaci%C3%B3n.pdf. Acesso em: 13 mar. 2013.

BOBBIO, N. A grande dicotomia: público/privado. In:______. Estado, governo, sociedade. 14. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2007. p.13-36.

BRASIL. Código civil. Art. 98 e 99. 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10406.htm. Acesso em: 10 ago. 2012.

______. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf. Acesso em 2 ago. 2012.

______. ______. Plano nacional de educação. Brasília: INEP, 2001b. Disponível em: . Acesso em: 1 ago. 2012.

______. ______. Portaria n.287 de 24 de abril de 1986. Sobre o Plano Nacional de Bibliotecas Universitárias (1º PNBU), 1986.

BURKE, P. Uma história social do conhecimento: de Gutenberg a Diderot. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003. p.69-72.

BUSQUET, L.M.C. Bibliotecas universitárias e o impacto das políticas públicas do ensino superior: o caso da BCG/UFF. 2012. 167 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação)–Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2012. Disponível em: http://www.ci.uff.br/ppgci/arquivos/Dissert/Dissertacao_Leandro_Busquet.pdf. Acesso em: 18 nov. 2013.

CARVALHO, I. C. L. A socialização do conhecimento no espaço das bibliotecas universitárias. Rio de Janeiro: Interciência, 2004.

CHASTINET, Y. Participação da comunidade na implantação do Plano Nacional de Bibliotecas Universitárias – PNBU. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 6., 1989, Belém. Anais... Belém: UFPA, 1990. p.38-56.

CHAUÍ, M. O que é política. In: NOVAES, Adauto (Organizador). O esquecimento da política. Rio de Janeiro: Agir, 2007. p.27-53.

CUNHA, M. B. da; CAVALCANTI, C. R. de O. Dicionário de Biblioteconomia e Arquivologia. Brasília: Briquet de Lemos/Livros, 2008. p.53.

DIAS, R.; MATOS, F. Políticas públicas: princípios, propósitos e processos. São Paulo: Atlas, 2012. p.1-15.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M. N. A universidade e a sociedade da informação. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v.9, n.1, p. 225-242, jul./dez. 2011. Disponível em: http://www.sbu.unicamp.br/seer/ojs/index.php/rbci/article/viewFile/510/pdf_11. Acesso em: 16 ago. 2012.

HABERMAS, J. Mudança estrutural da esfera pública. Rio de Janeiro: Tempo Editora, 2003. 397 p. (Biblioteca Tempo Universitário, 76 : Série Estudos Alemães).

JUSTEN FILHO, M. Curso de direito administrativo. 8. ed. rev. ampl. Belo Horizonte: Forum, 2012. p.1035;1046.

KINGDON, J. W. Agendas, alternatives and public policies. 2nd. ed. Boston: Longman, 2011. p.2-3.

LOSEKANN, C. A esfera pública habermasiana, seus principais críticos e as possibilidades de uso deste conceito no contexto brasileiro. Pensamento Plural, n.4, p. 37-57, jan./jun. 2009. Disponível em: http://www.ufpel.edu.br/isp/ppgcs/pensamento-plural/edicoes/04/02.pdf. Acesso em: 22 jun. 2012.

PINDYCK, R. S.; RUBINFELD, D. L. Microeconomia. 7. ed. São Paulo: Pearson, 2010. p. 602.

OHIRA, M. L. B.; OHIRA, M. Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias – SNBU (2000-2004): análise das citações. Encontros Bibli, n. 25, 2008. Disponível em: www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/viewFile/1158/886. Acesso em: 19 nov. 2012

QUEIROZ, R. B. Formação e gestão de políticas públicas. 3. ed. rev. atual. Curitiba: Ibpex, 2011. p.96-97; 106-108. (Série Gestão Pública).

SANTO DOMINGO, M. T. La función social de las bibliotecas universitarias. [2006?]. Disponível em: http://pendientedemigracion.ucm.es/BUCM/biblioteca/doc6236.pdf. Acesso em: 22 mar. 2013.

SANTOS, G. C.; RIBEIRO, C. M. Acrônimos, siglas e termos técnicos: Arquivística, Biblioteconomia, Documentação, Informática. 2. ed. rev. ampl. Campinas, SP: Editora Átomo, 2012. p.36.

SCHWARTZ, C. A. The university library and the problem of knowledge. College & Research Libraries, v. 68, n. 3, p. 238-245, May 2007. Disponível em: http://crl.acrl.org/content/68/3/238.full.pdf+html. Acesso em: 20 mar. 2013.

SILVA, A. M. M. Bibliotecas universitárias federais da Amazônia: desbravando fronteiras, administrando improvisos. 174 f. 2009a. Dissertação (Mestrado em Políticas Públicas)-Programa em Políticas Públicas, Universidade Federal do Maranhão, São Luiz, 2009. Disponível em: http://www.tedebc.ufma.br//tde_busca/arquivo.php?codArquivo=386. Acesso em: 24 abr. 2012.

SILVA, E. M. da. A influência das políticas de informação científica e tecnológica para as bibliotecas universitárias. 2009. 103 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação)–Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2009. Disponível em: http://eprints.rclis.org/14433/1/Disserta%C3%A7%C3%A3o_CI_-EDILENE_MARIA_DA_SILVA.pdf. Acesso em: 20 jul. 2013.

VARIAN, H. R. Microeconomia: princípios básicos, uma abordagem moderna. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006. p.720.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/atoz.v2i2.41325

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Universidade Federal do Paraná
Mestrado e Doutorado Interdisciplinar em Gestão da Informação
ISSN: 2237-826X
Qualis (2013-2016):
B2 - Comunicação e Informação
B4 - Planejamento Urbano e Regional/Demografia; Saúde Coletiva; Interdisciplinar
B5 - Arquitetura, Urbanismo e Design; Engenharias III
Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada sob uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada