Extração e avaliação do potencial antimicrobiano de capsaicinóides obtidos de pimentas do gênero Capsicum sp.

Vidiany Aparecida Queiroz Santos, Karin Martins Nunes, Crispin Humberto Garcia Cruz

Resumo


As pimentas do gênero Capsicum sp. além de conferir sabor diferenciado aos alimentos, apresentam potencial antimicrobiano, o que é interessante do ponto de higiênico-sanitário. Diante disso, o objetivo deste trabalho foi extrair e avaliar o potencial antimicrobiano de três extratos de pimentas frente a diferentes microrganismos. Foram utilizados frutos de três tipos de pimentas, as quais foram trituradas e adicionadas em etanol puro (extrato bruto). Este extrato foi fracionado com três solventes orgânicos de polaridade diferente e foi determinada a atividade antimicrobiana do extrato bruto e das frações de hexano, clorofórmio e acetato de etila das três espécies de pimentas, sobre oito tipos de microrganismos. O tamanho do halo de inibição foi utilizado como parâmetro para indicar a suscetibilidade destes microrganismos aos extratos e comparados àqueles produzidos com antibióticos. Por sua vez, os resultados obtidos dos antibiogramas foram comparados com os valores da Escala de Scoville. As bactérias Gram-negativas e os fungos foram os microrganismos mais sensíveis aos antibióticos e aos extratos testados. As bactérias Gram-positivas se mostraram resistentes a todas as substâncias testadas. No geral, dentre todos os extratos obtidos, o extrato de hexano foi o menos eficiente contra todos os microrganismos, e os extratos de clorofórmio e acetato de etila os mais eficientes. Dentre as três pimentas testadas, a pimenta malagueta foi a que causou maior número de inibições, seguida da pimenta cumari e a dedo-de-moça.

Palavras-chave


pimenta; atividade antimicrobiana; capsaicinóides

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cep.v34i2.51308

Boletim Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos. ISSN:19839774