Influência dos sangradouros na sensibilidade ao óleo das praias arenosas do Rio Grande do Sul

Elaine Baroni Oliveira, Joao Luiz Nicolodi

Resumo


No Brasil, a Lei 9.966/00 atribuiu ao Ministério do Meio Ambiente (MMA) a responsabilidade na identificação, localização e definição dos limites de áreas ecologicamente sensíveis com relação à poluição causada por derramamento de óleo e outras substâncias nocivas ou perigosas em águas sob jurisdição nacional. Tal definição se dá pela aplicação do Índice de Sensibilidade do Litoral (ISL). O ISL é um índice que classifica a sensibilidade da costa ao óleo baseado nas características geomorfológicas do litoral, mas, para costas arenosas como a do Rio Grande do Sul (RS), este índice não é totalmente eficaz, já que a classificação não leva em conta alguns parâmetros locais importantes, como por exemplo, os sangradouros existentes ao longo do litoral. Este trabalho determina a influência do sangradouro na sensibilidade ao óleo com a posterior inserção desta variável no ISL. A metodologia envolveu a digitalização e validação da posição dos sangradouros e ambientes, a criação do mapa de inundação e, por fim, a hierarquização dos trechos mais sensíveis. Os resultados mostraram que durante elevações do nível do mar, áreas naturais com a presença de sangradouros sofreram inundação de até 300 metros. Dentro desta área são encontrados diferentes ambientes, que segundo o ISL, são mais sensíveis. Durante um derramamento de óleo, estes ambientes estariam expostos não só à ação do mar, mas também ao óleo derramado. Os trechos onde estas condições ocorrem (alta densidade de sangradouros associados e presença de ambientes sensíveis), foram considerados de prioridade de proteção e demarcados na Carta SAO através da sobreposição de um ícone de sangradouro no mapa. Conclui-se que se os sangradouros fossem considerados como uma variável na definição de sensibilidade, o mapeamento de ISL das bacias sedimentares do sul do país seriam qualificados, tornando seus resultados mais realísticos.


Palavras-chave


Sangradouros; ISL; LIDAR; Praias Arenosas

Texto completo:

PDF

Referências


Aguiar L.S., Cestaro L.A. 2012. Caracterização da unidade geoambiental litorâneo-eólica de Senador Georgino Avelino/RN. Revista Geonorte. Edição especial, V. 3: p. 703-714.

Araújo S.I., Silva G.H., Muehe D. 2000. Minuta do manual básico para elaboração de cartas de sensibilidade no sistema petrobrás. p. 170.

Beldran C., Saraiva J., Carneiro C. 2000. Monitoramento de “storm surges” na costa do RS. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO SOBRE PRAIAS ARENOSAS. Anais… Santa Catarina. pag 175-177. 2000.

Benavente J., Río L. Del., Gracia F.J., Martínez-Del-Pozo J.A. 2006. Coastal flooding hazard related to storms and coastal evolution in Valdelagrana spit (Cadiz Bay Natural Park, SW Spain). Continental Shelf Research, 26: p. 1061-1076.

Calliari L.J., Guedes R.M.C., Pereira P.S., Lélis R.F., Antiqueira J.A., Figueiredo S.A. 2010. Perigos e Riscos associados a processos costeiros no Litoral Sul do Brasil (RS): uma síntese. Brazilian Journal of Aquatic Science and Technology. 14(1), p. 51-63.

Calliari L.J., Klein A.H.F. 1993. Características morfodinâmicas e sedimentológicas das praias oceânicas entre Rio Grande e Chuí, RS. Pesquisas, 20: p. 48-56.

Calliari L.J., Tozzi H.A.M., Klein A.H.F. 1998. Beach morphology and coastline erosion associated ith storm surges in Southern Brazil – Rio Grande to Chuí. Academia Brasileira de Ciências. p. 231 – 247.

Cardoso C.D.P.C. 2006. Estudo da macrofauna bêntica de praias do Parque Estadual da Ilha do Cardoso, como subsídio a elaboração de Cartas de Sensibilidade Ambiental a derrames de petróleo. Monografia de Conclusão de Curso, Curso de Ecologia, Universidade Estadual de São Paulo/ UNESP.

Castanedo S., Juanes J.A., Medina R., Puente A., Fernandez F., Olabarrieta M., Pombo C. 2009. Oil spill vulnerability assessment integrating physical, biological and socio-economical aspects: Application to the Cantabrian coast (Bay of Biscay, Spain). Journal of Environmental Management. 91. p.149-159.

Figueiredo S.A., Calliari L.J. 2005. Sangradouros: Distribuição espacial, variação sazonal, padrões morfológicos e implicações no gerenciamento costeiro. Gravel, 3: p. 47-57.

Figueiredo S.A., Cowell P., Short A. 2007. Intermittent backbeach discharge to the surfzone: modes and geomorphologic implications. Journal of Coastal Research, Special Issue 50. p. 610 – 614.

Figueiredo S.A., Calliari L.J. 2006. Washouts in the central and northern littoral of Rio Grande do Sul State, Brazil: distribution and implications. Journal of Coastal Research, Special Issue 39. P. 366 – 370.

Freire I.D.S.O. 2006. Mapeamento de sensibilidade ambiental para derrames de óleo da porção sul da costa do Rio Grande do Sul, Rio Grande. Rio Grande, p.43. Monografia de Conclusão de Curso, Curso de Oceanologia, Instituto de Oceanografia - Universidade Federal do Rio Grande/FURG.

Goulart A.L.R., Cozza R.J. 2010. Geotecnologias aplicadas ao estudo e manejo de sangradouros, estudo de caso do Arroio Querência, praia do Cassino, RS. Monografia (Técnico em Geomática). Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Rio Grande/ RS. 31 p.

Gundlach E., Hayes M.O. 1978. Vulnerability of costal environments to oil spill impacts. Marine Technology Society Journal, v.12, n.4, p. 18-27.

Maia N.Z. 2011. Avaliação da elevação do nível do mar e riscos de inundação costeira associados à passagem de ciclones no balneário Hermenegildo, RS. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Oceanografia Física, Química e Geológica. Instituto de Oceanografia, Universidade Federal do Rio Grande/FURG. Rio Grande. 118 p.

Marinho C. 2013. Avaliação do Índice de Sensibilidade do Litoral (ISL) no âmbito das Cartas SAO: Identificação de lacunas e proposição das variáveis biológicas em sua composição. In: 7º CONGRESSO BRASILEIRO DE PETRÓLEO E GÁS. Anais... Sergipe. 8 pág

Marone E., Camargo R. 1994. Marés meteorológicas no litoral do estado do Paraná: o evento de 18 de agosto de 1993. Revista Nerítica, Editora da UFPR, 8 (1-2). p. 73 – 85.

Martins K.A. 2013. Definição de ambientes quanto ao grau de exposição à energia hidrodinâmica no Lago Guaíba e Lagoa dos Patos no contexto do Índice de Sensibilidade Ambiental do Litoral (ISL), Rio Grande, p. 59. Monografia de Conclusão de Curso, Curso de Oceanologia. Instituto de Oceanografia - Universidade Federal do Rio Grande/FURG.

Martins L.R. 1967. Aspectos texturais e deposicionais dos sedimentos praias e eólicos da planície costeira do Rio Grande do Sul. Publicação Especial, Escola de Geologia UFRGS, Porto Alegre. v. 13, p. 102

Matos M.P., Lima-Guimarães S.T. 2012. A percepção ambiental em planos de emergência: uma proposta para os estudos de sensibilidade ambiental a derrames de óleo. In: Guimarães, S.T.L., Carpi Jr. S., Godoy M.B.R.B., Tavares A.C. (Orgs). Gestão de Áreas de Riscos e Desastres Ambientais. 1ª edição. IGCE/UNESP/RIO CLARO, Rio Claro. p. 121-150.

Ministério do Meio Ambiente – MMA. 2007. Especificações e normas técnicas para elaboração de cartas de sensibilidade ambiental para derramamentos de óleo. Ministério do Meio Ambiente, Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental, Gerência de Qualidade. 107 p.

Motta V. 1969. Relatório-diagnóstico sobre a melhoria e o aprofundamento do acesso pela Barra de Rio Grande. Instituto de Pesquisas Hidráulicas, UFRGS, Porto Alegre.

Nicolodi J.L. 2015. Mapeamento de sensibilidade ao óleo da bacia marítima de Pelotas. In: XV CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DO QUATERNÁRIO – ABEQUA. Anais... Imbé, RS. 2 p.

Oliveira C.R. 2006. Mapa de sensibilidade ambiental para derrame de óleo para a porção norte da costa do Rio Grande do Sul, Rio Grande, p. 205. Monografia de Conclusão de Curso, Curso de Oceanologia, Instituto de Oceanografia -. Universidade Federal do Rio Grande/FURG.

Parise C.K. 2007. Padrões atmosféricos sinóticos geradores de marés meteorológicas intensas e a resposta morfodinâmica da praia do Cassino, Rio Grande, p.70. Monografia de Conclusão de Curso, Curso de Oceanologia. Instituto de Oceanografia – Universidade Federal do Rio Grande/FURG.

Parise C.K., Calliari L.J., Costi J. 2007. Influência das marés meteorológicas na variação do pacote subaéreo do sedimento da praia do Cassino, litoral do RS. In: XII CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE CIÊNCIAS DO MAR, 12, 2007. Florianópolis. Resumos....Santa Catarina: Associação Latino-americana de Pesquisadores em Ciências do Mar e Associação Brasileira de Oceanografia. 2007.

Parise C.K., Calliari L.J., Krusche N. 2009. Extreme storm surges in the south of Brazil: atmospheric conditions and shore erosion. Brazilian Journal of Oceanography. 57(3). p. 175-188.

Pereira da Silva R. 1998. Ocorrência, distribuição e características morfodinâmicas dos sangradouros na zona costeira do Rio Grande do Sul: trecho Rio Grande – Chuí, RS. Porto Alegre, p. 43. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós Graduação em Geociências. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Pereira P.S. 2005. Variabilidade da orla oceânica do Rio Grande do Sul e suas implicações na elaboração de planos de contingência: aspectos morfodinâmicos, sedimentológicos e geo-morfológicos. Rio Grande, 161 p. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Oceanografia Física, Química e Geológica. Instituto de Oceanografia - Universidade Federal do Rio Grande/FURG

Portz L.C., Manzolli R.P., Gruber N.L.S., Correa I.C.S. 2010. Turismo e degradação na orla do Rio Grande do Sul: conflitos e gerenciamento. Desenvolvimento e Meio Ambiente, nº 22. Editora UFPR. P: 153-166.

Pugh D.T. 1987. Tides, Surges and Mean Sea-Level. Chichester, UK John Wiley & Sons Ltda. 472 p.

Raji O., Del Río L., Gracia F.J., Benavente J. 2011. The use of LIDAR data for mapping coastal flooding hazard related to storms in Cádiz Bay (SW Spain). Journal of Coastal Research, 64: pág 1881 – 1885.

Saraiva J.M.B., Bedran C., Carneiro C. 2003. Monitoring of storm surges on Cassino Beach. Journal of Coastal Research. 35 (SI). p. 323-331.

Serpa C.G. 2008. Estudo da influência dos fatores climáticos, hidrológicos e morfológicos no ciclo de vida de um sangradouro intermitente, Praia do Cassino, Brasil. Dissertação (Mestrado em Engenharia Oceânica) – Curso de Pós-Graduação em Engenharia Oceância, Universidade Federal do Rio Grande/FURG, Rio Grande. 95 p.

Serpa C.G. 2013. Morfodinâmica praial relacionada à presença de corpos de água intermitentes em duas praias da costa do Rio Grande do Sul, Brasil. Rio Grande, P.124. Tese de Doutorado – Programa de Pós-Graduação em Oceanografia Física, Química e Geológica. Instituto de Oceanografia, Universidade Federal do Rio Grande/FURG.

Serpa C.G., Romeu M.A.R., Fontoura J.A.S., Calliari L.J., Melo E., Albuquerque M.G. 2011. Study of the responsible factors for the closure of na intrmittent washout during a storm surge, Rio Grande do Sul, Brazil. Journal of Coastal Research, special issue, 64: 2068-2073.

Toldo Jr. E.E., Dillenburg S.R., Almeida L.E.S.B., Tabajara L.L., Martins R.R., Cunha L.O.B.P. 1993. Parâmetros morfodinâmicos da praia de Imbé, RS. Pesquisas, 20 (1); p. 27-32.

Tomazelli L.J., Villwock J.A. 1992. Considerações sobre o ambiente praial e a deriva litorânea de sedimentos ao longo do litoral norte do Rio Grande do Sul, Brasil. Pesquisas em Geociências, 19 (1): 3-12.

Tomazelli L.J., Villwock J.A. 2000. O Cenozóico do Rio Grande do Sul: Geologia da planície costeira. p. 375-406. In: Holz M., DeRos L.F. (eds). Geologia do Rio Grande do Sul. Edição CIGO/UFRGS, Porto Alegre.

Tozzi H.A.M. 1999. Influência das tempestades extratropicais sobre o estoque subaéreo das praias entre Rio Grande e Chuí, RS. Companha do Outono e Inverno de 1996. Porto Alegre, p. 115. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós Graduação em Geociências – Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Turner I.L., Coates B.P., Acworth R.I. 1997. Tides, waves and the super-elevation of groundwater at the coast. Journal of Coastal Research, 13:1. P: 46 – 60.

Vasconcelos T.L., Barbosa C.C.A., Valdevino D.S., Sá L.A.C.M. 2010. Cartas de Sensibilidade Ambiental ao Derramamento de Óleo e sua distribuição no Brasil. In: III SIMPÓSIO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS GEODÉSICAS E TECNOLOGIA DA GEOINFORMAÇÃO. Anais... Recife, PE.

Vianna H.D. 2013. Variabilidade do sistema praia-dunas para o litoral norte do Rio Grande do Sul (Palmares do Sul a Torres – Brasil) apoiado em dados laser scanner – LIDAR. Rio Grande, p. 189. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Oceânica – Universidade Federal do Rio Grande/FURG.

Villwock J.A. 1984. Geology of the coastal province of Rio Grande do Sul, Southern Brazil. A synthesis. Pesquisas, 16: p.5-49.

Villwock J.A., Tomazelli L.J. 1995. Geologia Costeira do Rio Grande do Sul. Notas Técnicas, Centro de Estudos de Geologia Costeira e Oceânica, UFRGS. Porto Alegre, 8: 1-45.

Villwock J.A., Tomazelli L.J., Loss E.L., Dehnhardt E.A., Horn N.O., Bachi Fl.A., Dehnhardt B.A. 1986. Geology of the Rio Grande do Sul Coastal Province. In: Rabassa, J. ed. Quaternary of South America and Antartic Península. A.A. Balkema, Rotterdam. 4: 79-97.

Wright L.D., Short A.D. 1984. Morphodynamic variability of surf zone and beaches: a synthesis. Marine Geology, 56: 93-118




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/abequa.v8i1.46677

Quaternary Environmental Geosciences